Questões de Eternidade

Certo dia, estava eu e minha mãe, pensando e conversando sobre culinária quando, de repente, divergimos para o assunto de eternidade. Afinal, o que é ser eterno?

Clique em “mais informações”  para ler o resto.

Durante anos e anos alquimistas trabalharam duro em busca da fórmula da tal pedra filosofal. Com isso queriam eles descobrir uma forma de viver para sempre, uma forma de permanecerem nesse mundo por ainda mais tempo. Mas seria isso ser eterno? Viver para sempre?

Do dicionário: Eterno Adj. 1.Que não tem princípio nem fim; que dura sempre. 2. imortal  3. Incessante  4. Imutável

Segundo nosso “pai-dos-burros”, ser imortal seria, sim, ser eterno. A questão é: imortal é ser eterno simplesmente porque não termina ou seria por algo tornou aquela pessoa especial? Afinal, quantos imortais você já viu caminhando pelas ruas ou em corredores de hospitais?

Cada vez que alguém conta uma história que envolva outro alguém, por mais esta pessoa tenha partido para o andar de cima, não está ela revivendo, apenas por um instante, para tornar aquela narrativa viva? Já perdi a conta de quantas maravilhosas histórias minha avó já me contou sobre os pais dela, e minha mãe sobre os avós dela. Tão boas histórias que é quase como se eu os tivesse conhecido.

Agora, não é isso ser eterno? Poder ser lembrado além da morte? Porque, no final das contas, de que serviu a vida que nada fez para marcar outras pessoas? Na verdade, não é preciso viver para sempre para ser eterno. Basta deixar um legado para o futuro.

Quantos intelectuais, líderes militares e líderes de revoluções são lembrados por todos nós ainda após anos e anos? Mas, o fato é que ser lembrado é fácil, o difícil é ser lembrado da “maneira certa”. Afinal, Hitler tornou-se um homem eterno, ainda que não por um feito glorioso.

O que nos leva a um trecho de um livro que li há pouco:

“[…] se o futuro é para sempre, ele pensou, então um dia vai acabar nos engolindo a todos.” – O Teorema Katherine, John Green

Por mais marcantes que sejamos, provavelmente vai chegar um tempo em que seremos esquecidos. E talvez esse seja o maior medo de todos: ser esquecido. Ninguém tem medo da morte em si, tem medo de que ninguém mais se lembre que um dia ele chegou a existir.

Assim, vivemos a vida desesperadamente a procura de um feito para se eternizar. Nisso, muitos desejam entrar para a história. Mas não basta simplesmente lutar em uma guerra, ou ser mais um manifestante nas ruas. Quantos soldados morreram nas guerras mundiais e ninguém se lembra o nome? Ser eterno, para o mundo, tem mais a ver com ser alguém importante, coisa que muitos não conseguem.

Assim, talvez o melhor seja mesmo ser lembrado pela sua própria família. Mesmo que o fim da sua eternidade corra o risco de chegar mais rápido, ao menos por um minuto, você será eterno, e não há nada mais gratificante do que ser lembrado por alguém por algo que você fez.

Ainda assim nunca nos livraremos da eterna perseguição, por vezes inconsciente, da eternidade completa. Para ser eterna, o que eu faço é escrever. E você, o que faz para se eternizar?

2 comentários:

  1. Ainda quero a minha fonte da juventude,queridos. (Amei o texto)

    -Louise aqui-

    ResponderExcluir

Deixe a sua opinião! Ela é muito importante para mim.

© Giulia F Ferreira - 2016. Todos os direitos reservados. Criado por: Giulia F Ferreira. Tecnologia do Blogger.