Criança do Sertão

Esse texto faz parte do projeto PH Poem a Day, do blog Central da Leitura.

Se não estiver vendo o texto, clique em mais informações logo abaixo.

A seca e o solo craquelado que já são velhos conhecidos. Não, não disse amigos. Conhecidos. A fome e a sede também. Os animais cada vez mais magros. As plantas cada vez mais hostis e cheias de espinhos.

Não era pra ser assim.

Criança do Sertão não quer um dia de neve. Criança do Sertão quer chuva, quer água. Criança do Sertão não entende por que Criança da Chuva quer brincar na neve. E as piscinas que eles têm? Não é o suficiente?

Não era pra ser assim.

Quando Criança do Sertão consegue ver sessão da tarde, ela olha curiosa para as cenas de tristeza. Por que quando, nos filmes, as pessoas ficam tristes chove? Criança do Sertão sabe que não é assim. Criança do Sertão sabe que se a tristeza trouxesse a chuva, a felicidade que sentiria então levaria a chiva embora.

Não era pra ser assim.

Não é fácil ser Criança do Sertão. Não é fácil ser criança sem água e sem comida.

Não era pra ser assim.

Não é fácil. Não é fácil ser Criança do Sertão.

Não era pra ser assim.

Não era pra ser.

Não era…

Não era pra ser assim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe a sua opinião! Ela é muito importante para mim.

© Giulia F Ferreira - 2016. Todos os direitos reservados. Criado por: Giulia F Ferreira. Tecnologia do Blogger.