Navio soltando fumaça

Olá, seres humanos e não-humanos! Mais uma segunda-feira. Mais um texto.
Prontos ou não… Esqueça isso, vocês que tem que clicar em mais informações. Não dá para obrigá-los a fazer isso.

Com a lataria preta e vermelha que parece ser pesada demais para conseguir flutuar, ele é colocado no mar pela primeira vez, água voando para todos os lados.
É fácil encher de carga um navio que sai da Europa para a América. Carga. Malas, veículos, bibliotecas inteiras. Pessoas. Como se sozinho, o navio já não fosse pesado o suficiente.
Então ele deixa o porto. Um apito de adeus. Fumaça negra deixando seu rastro entorpecente no ar.
Adeus. Eu disse para os que ficaram. Eles não pretendiam ir, eu não pretendia voltar. E que o inexplicável me fizesse chegar ao meu destino, fosse onde fosse. Mesmo que não fosse em terra firme.

E assim eu parti. Fugida da minha realidade.
Navio. Soltando fumaça. Dizendo adeus.

Um comentário:

  1. Daria um excelente conto, mas também deu um excelente pequeno texto. :3
    Me lembrou algo, mas não sei o quê.
    Talvez apenas seja nostálgico.
    Maria S. Hohl

    ResponderExcluir

Deixe a sua opinião! Ela é muito importante para mim.

© Giulia F Ferreira - 2016. Todos os direitos reservados. Criado por: Giulia F Ferreira. Tecnologia do Blogger.