#8 Inspire-se: bloco de anotações

Olá, seres humanos e não-humanos!
Como vão vocês? (essa pergunta é tão inútil, ninguém nunca responde) Sejam bem-vindos a mais uma quinta-feira de inspiração no blog. Vocês tem um bloco ou caderninho de anotações? Sendo a resposta positiva ou negativa, clique em mais informações e continue lendo.

Depois de tantos posts de inspiração, acho que já deu para perceber que ela vem das coisas mais simples e aleatórias da vida, certo? Por isso, nada mais útil que ter um bloco ou caderninho de anotações com você a todo lugar que for.
Sim, eu faço isso. A maior parte dos meus poemas (como os que estão em Olhos de Vidro), foram escritos em lugares completamente aleatórios.  

Depois de um tempo se adequando a ver inspiração em toda e qualquer coisa (e ainda que esse não seja um costume seu), vai ser difícil não ter ideias mirabolantes nos momentos mais inoportunos e, sinto muito lhe informar, você provavelmente esquecerá se não anotar isso. Aconteceu comigo, e dói.
Então, se você não tem um caderninho de anotações, pare de ler isso agora e corre para uma papelaria para arrumar um. Despois volta e termina o post, claro.
Não importa o tamanho, quantas páginas nem a cor da capa, o importante é que você se sinta agradável ao lado dele, que se sinta bem e inspirado. Sim, inspirado, porque ter um caderno com você pode aumentar consideravelmente sua fonte de inspiração.

Agora, já com o caderno em mãos, faça o juramento:

Meu caderno, meu companheiro.
Eu juro
te cuidar, te rabiscar, te escrever,
te desenhar, te marcar, te ler.
Em todo lugar,
em todo momento,
dentro de casa ou ao relento.
Juro te levar comigo,
para onde quer que eu vá.
Juro te levar para passear,
para a praia e a floresta,
para o shopping center ou uma festa.
Juro ser fiel a ti,
e somente a ti,
enquanto ainda tiver páginas em branco,
e eu ideias para contar.
Juro que serás sempre importante,
mesmo que estejas apenas guardado na estante,
ao lado do meu livro favorito.

Acho que deu para captar o tamanho do vínculo sentimental que eu tenho com os meus caderninhos de escrita, não é mesmo? E tem de tudo neles, sério. Desde meus poemas até jogos de adedanha.
Eu simplesmente coloco lá toda e qualquer coisa que eu ache que pode vir a me inspirar algum dia, porque é exatamente a ele, o caderninho, a quem (sim, ele é um quem. Problemas com isso?) você vai recorrer no primeiro indício de um possível bloqueio criativo.

E isso não se aplica só aos escritores, ouviram? Qualquer artista precisa de um caderno para rabiscar. Seja para desenhar alguma coisa que você viu por aí, seja para escrever um pequeno pedaço de partitura ou até mesmo fazer cálculos matemáticos aleatoriamente, se essa for a sua arte. Apenas tenham um amigo fiel para contar essas ideias, um amigo que não esqueça, porque você vai esquecer.

Eu vou ficando por aqui.
Boa sorte para você e o seu amigo, coloquem todas essas ideias mirabolantes que eu sei que vocês têm no papel, e boa sorte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe a sua opinião! Ela é muito importante para mim.

© Giulia F Ferreira - 2016. Todos os direitos reservados. Criado por: Giulia F Ferreira. Tecnologia do Blogger.