Um homem com uma nuvem sobre a cabeça

Olá, seres humanos e não-humanos!
Título grande? Imagina! HAha.
Primeiramente, peço desculpas pelo tom depressivo do texto de hoje. Espero que, ainda assim, vocês consigam começar a semana com o pé direito. Se estiver pronto e disposto para tais sentimentos é só clicar em mais informações abaixo e ler do que se trata. Boa sorte e boa semana.

Há quem diga que ele era sozinho.
Anda para cima e para baixo com capa e guarda-chuva na mão, sempre seguido por uma nuvem negra, pairando sobre a sua cabeça. As galochas estavam sempre sujas de lama. Sempre, sempre, SEMPRE.
Dizem que ele era solitário, e em uma busca desesperada por companhia, trocou sua alma por um amigo. Ledo engano, grande erro. Ao notar tamanha apatia no que estava sempre ao seu lado, o novo amigo se entristeceu. Encolheu-se em depressão dia após dia. Até que, em uma noite qualquer, deitou-se chorando em posição fetal e assim adormeceu. Dormiu toda a noite e, pela manhã, ainda chorava. Chorava chuva. Era nuvem. Jamais seria capaz de abandonar um amigo, nem que isso significasse seu fim.
E o homem ainda hoje anda por aí. Apático, cético, sério. Desprovido de alma. Seguido sempre pela nuvem, seu amigo por quem ele dera tudo para ter, sem nunca ser capaz de dar algo em troca. Uma egoísta tomada de decisão em um momento desesperado. Ele não tinha como saber.
E a nuvem ainda o segue. Dia após dia, noite após noite. E ele se protege do que vem dela.
Quem sabe um dia, se ele decidir se molhar, sua alma volte a habitar seu peito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe a sua opinião! Ela é muito importante para mim.

© Giulia F Ferreira - 2016. Todos os direitos reservados. Criado por: Giulia F Ferreira. Tecnologia do Blogger.