Margarida

Olá, seres humanos e não-humanos que visitam meu blog!
Como vocês vão? Bem? Espero realmente que sim, do fundo do meu coração. Hoje, o tema do texto era: margaridas. Pronto pra ver? Só clicar em mais informações aí embaixo.

O sol está se pondo e meu estômago está do avesso. Parece borbulhar de tamanho nervoso, como se um peixe vivo estivesse nadando dentro de mim. Nem mesmo controlar a respiração parece funcionar.
Ergui a mão. Bato na porta? Não bato? Mas eu vim aqui pra isso! Não posso voltar sem ter tentado. É. Sim. Agora.

Não.

Não? Sim! Deixa de ser covarde!

Será que ela gosta de margaridas? E se ela não gostar de margaridas?

BATE NA PORTA LOGO, CARAMBA!

Toc, toc. Espera. Som de passos.
O suor frio corre pela minha testa. Essa espera é demais para mim.
Saio correndo.

--------------

A porta trava toda vez que eu tenho que abrir. Faz um barulho alto. Tenho que lembrar de trocar essa maçaneta, mas estou sempre deixando pra depois.
Depois que consigo abrir a passagem, não tem ninguém lá fora. Já fico com raiva. Malditas crianças dos vizinhos! Mas antes de voltar a trancar a porta, me permiti olhar para o tapete.

Uma margarida. Gosto de margaridas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe a sua opinião! Ela é muito importante para mim.

© Giulia F Ferreira - 2016. Todos os direitos reservados. Criado por: Giulia F Ferreira. Tecnologia do Blogger.