#12 No fim do túnel


Senti o choro quente começar a escorrer. Não sabia se deixava ou se tentava escondê-lo, mas não é como se fosse possível ter segredos com o outro. Parecia saber de tudo e um pouco além. Minha mãe… ela não teria vergonha do que me tornei. Não que ela sequer tivesse aquele direito. Mas, ao contrário dela, meu eu do passado estaria decepcionado. Tentaria mais uma vez tirar a própria vida, pra não precisar chegar naquele ponto.
Esperaria na linha do trem, os olhos fechados, a máquina se aproximando, e então sendo desviada no último instante pelo jeque. Não podia morrer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe a sua opinião! Ela é muito importante para mim.

© Giulia F Ferreira - 2016. Todos os direitos reservados. Criado por: Giulia F Ferreira. Tecnologia do Blogger.